publicidade

Crédito pessoal com problemas bancários

Como é sabido de todos os leitores este blog aborda temas de relevância na área de créditos rápidos, incluído o crédito pessoal. Neste artigo será abordado uma questão que muitas pessoas têm feito ao longo da vida deste blog.

Problemas bancários no Brasil e em Portugal

Por problemas bancários entende-se que uma pessoa tenha o seu nome na “lista negra” do banco de Portugal por incumprimento.

De notar que estas pessoas não são irresponsáveis e que não devem ter vergonha de se encontrar com problemas bancários. A vida dá muitas voltas e as adversidades atingem qualquer pessoa. O melhor que há a fazer é dar a volta ao assunto sem olhar para trás.

O melhor a fazer será mesmo pagar a dívida que possui de forma a não ter o nome na “lista negra” para poder recorrer a um crédito pelas vias normais. Sair-lhe-á mais barato, menos moroso e terá menor de ver o seu pedido recusado. Contudo, devo avisar desde já, que se a situação estiver muito má em termos financeiros, não poderá recorrer a qualquer tipo de crédito por representar um risco muito grande para os bancos ou financeiras.

Num artigo anterior, foi abordado de forma superficial este assunto, sendo dada a dica do cartão de crédito para enfrentar este problema. Porém, o cartão de crédito apenas é útil para pequenos valores (geralmente até 1000 ou 1500€), deixando de fora as pessoas que precisam de mais algum dinheiro.

Por problemas bancários entende-se que uma pessoa tenha o seu nome numa “lista negra”  por incumprimento. No caso do Brasil existem três bases de dados principais, administradas por organizações diferentes: a lista Serasa administrada pela empresa Serasa, o Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) administrado pela empresa Boa Vista Serviços e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) administrado pela Câmara de Dirigentes Lojistas. No caso de Portugal, há uma única lista administrada pelo Banco de Portugal.

Quando uma pessoa está numa lista negra se diz que a pessoa tem seu nome sujo ou negativado. Mas note que estas pessoas não são irresponsáveis e que não devem ter vergonha de se encontrar com problemas bancários. A vida dá muitas voltas e as adversidades atingem qualquer pessoa.  

O melhor que se pode fazer nesta situação é pagar a dívida pendente, de forma a limpar o nome da “lista negra” para poder recorrer a créditos pelas vias normais, pois assim seu crédito será mais barato, menos moroso e haverá menor probabilidade de que o pedido seja recusado.

Contudo, é claro que pagar a dívida nem sempre é possível, e é para as pessoas nessa situação que este artigo está dirigido. Lembrando que se a situação estiver muito grave em termos financeiros, será muito difícil recorrer a qualquer tipo de crédito por representar um risco muito grande para os bancos ou financeiras.

Num artigo anterior, foi abordado de forma superficial este assunto, sendo dada a dica do cartão de crédito para enfrentar o problema. Porém, o cartão de crédito apenas é útil para pequenos valores, deixando de fora às pessoas que precisam de maiores quantias de dinheiro.

Recorrer ao crédito pessoal

O crédito pessoal foi pensado para as pessoas que necessitam de dinheiro rápido e sem burocracias. Regra geral, qualquer pessoa está habilitada a usufruir do crédito pessoal desde que não tenha o nome “manchado”. Mas até para as pessoas que têm o seu nome na lista negra, é possível recorrer ao crédito pessoal.

O crédito pessoal foi pensado para quem precisar de dinheiro rápido e sem burocracias. Em geral, qualquer pessoa está habilitada a usufruir do crédito pessoal desde que não tenha o nome “manchado”, mas até as pessoas que têm o seu nome na lista negra podem tentar recorrer ao crédito pessoal.

As regras não são bem as mesmas porque uma pessoa que nunca teve a infelicidade de entrar em incumprimento tem mais valor para as financeiras do que as pessoas com problemas bancários. E a razão é óbvia: menor probabilidade de incumprimento.

Se tem problemas bancários e precisa de um crédito rápido, deve estar sem saber o que fazer. Sair disparado de casa directo para os escritórios das financeiras e discutir com as pessoas que lá trabalham ou até mesmo recorrendo ao lado emocional dos funcionários não irá resultar. Eles têm ordens a cumprir e não deixarão de o fazer para ajudar um desconhecido.

Porém, as regras não são as mesmas, já que uma pessoa que nunca entrou em incumprimento é mais valorizada pelas companhias financeiras do que as pessoas com problemas bancários.

Se você tiver problemas bancários e precisar de um crédito rápido, é possível que esteja sem saber o que fazer. Ir nos escritórios das financeiras e discutir com as pessoas que lá trabalham não irá adiantar. Infelizmente, eles têm ordens a cumprir e não há muito que possam fazer.

Por outro lado, você pode se preparar para enfrentar esta situação.

Existem dois tipos de crédito pessoal

O crédito pessoal, à semelhança de os créditos tradicionais, está dividido em duas categorias: com ou sem garantia por parte do cliente.

O crédito pessoal com garantia é fornecido com base em alguma garantia. Um fiador (pessoa que se responsabiliza em caso de incumprimento), o carro, a casa ou até ações da bolsa de valores são algumas das várias opções de garantia.

publicidade

Para avaliar o valor do crédito em relação ao imóvel que você decidir usar como garantia, o banco calcula uma grandeza conhecida como Loan-To-Value ou LTV. Para calculá-lo, o banco primeiro estima o valor do seu imóvel e depois aplica a seguinte fórmula:

LTV = (Valor do empréstimo / Valor do Imóvel) x 100%

De forma que o resultado será expressado em porcentagem. Normalmente, a porcentagem máxima de LTV que os bancos aceitam para um crédito pessoal com garantia varia entre 60% e 80%, isto significa que o banco irá lhe financiar com essa porcentagem do valor do seu imóvel.

Quanto menor o LTV do empréstimo, menor é o risco que o banco assume. Pois em caso de que você não consiga cumprir o seu compromisso o banco pode ficar com o imóvel e vendê-lo posteriormente para saldar a dívida.

Por sua vez, o crédito pessoal sem garantia é diferente não precisa de qualquer tipo de garantia, mas normalmente têm taxas de juros superiores, menos dinheiro para emprestar e menor prazo de tempo para liquidar a dívida.

No caso de querer pedir um crédito pessoal com problemas bancários, a sua melhor opção será o crédito pessoal com garantia como forma a dar mais segurança à entidade financeira que irá fazer o empréstimo.

Caso não tenha qualquer garantia para oferecer, terá que mostrar de alguma forma que consegue pagar a sua dívida. Apresentar o recibo de ordenado, extractos da conta corrente e provar que tem um contrato de trabalho sólido são factores essenciais para obter o crédito pessoal. Se você fizer isto, está demonstrando que possui formas de pagar o empréstimo.

O banco condensa algumas dessas informações num número chamado Taxa de Esforço, calculado através da fórmula:

Taxa de Esforço = (Total de Prestações Financeiras / Rendimento do Agregado Familiar) x 100%

Ou seja, a taxa de esforço representa a porcentagem dos ingressos familiares que é destinada ao pagamento de suas prestações bancárias.  

Em geral, os bancos exigem que sua Taxa de Esforço seja inferior ao 33% para adquirir novos créditos, mas em alguns casos esse limite pode aumentar até 40%. Note que a Taxa de Esforço é exigida para avaliar créditos pessoais com e sem garantia por parte do cliente.

Além dessas opções, alguns brasileiros ainda podem considerar os empréstimos consignados. Esses créditos estão disponíveis para aposentados, pensionistas do INSS, servidores públicos ou funcionários de empresas conveniadas às instituições financiadoras. Neste tipo de empréstimo o pagamento mensal é descontado automaticamente da sua pensão ou folha de pagamento, e como a empresa financiadora tem a garantia de que o pagamento vai vir diretamente do seu empregador, há maior confiança em que o empréstimo será pago. Por sua vez, esta confiança se traduz em taxas de juros mais baixas e numa alta probabilidade de que o crédito seja outorgado mesmo com seu nome negativado.

O que fazer para reduzir a Taxa de Esforço?

No caso do LTV não há muitas possibilidades para tentar melhorá-lo, a única alternativa é tentar companhias financeiras diferentes que talvez valorizem melhor seu imóvel ou estejam dispostas a aceitar um valor maior de LTV no seu crédito.

Contudo, existem mais possibilidades para tentar diminuir a Taxa de Esforço. A primeira coisa que você deve tentar se sua Taxa de Esforço for muito elevada por possuir vários empréstimos é tentar consolidar todos num só. Deste modo você pode alargar o prazo de pagamento ou até reduzir a taxa de juro e ficará a pagar apenas uma prestação mensal, melhorando sua taxa de esforço.

Caso não consiga chegar ao crédito consolidado, outra opção a ser considerada é renegociação da dívida. Assim, você poderia conseguir melhores condições de pagamento ou alargar o prazo do pagamento, diminuindo assim a Taxa de Esforço. Considere também que existem empresas especializadas em renegociação de dívidas, estas empresas se encarregam de traçar o seu perfil financeiro e avaliar a possibilidade de chegar a um acordo com as empresas credoras. Contacte mais do uma entidade e avalie de que forma poderão ajudá-lo a recuperar a suas estabilidade financeira.

Uma última alternativa é optar por transferir o seu empréstimo a outra instituição financeira para encontrar melhores condições de financiamento.

Condições do crédito pessoal

Recorrer ao crédito pessoal com problemas bancários tem as suas desvantagens. As taxas de juro serão certamente superiores ao normal devido ao risco que a financeira está a ter mas em caso de necessidade urgente, são suportáveis.

Lembre-se também de escolher as 5 melhores financeiras e fazer uma simulação em todas elas. Ficará surpreendido com as diferenças nos juros e demais atenuantes do crédito pessoal.

Recorrer ao crédito pessoal com problemas bancários tem as suas desvantagens. As taxas de juros serão certamente superiores ao normal devido ao risco que a financeira está assumindo mas em caso de necessidade urgente, são suportáveis.

Lembre também de escolher as 5 melhores financeiras e fazer uma simulação em todas elas. Ficará surpreendido com as diferenças nos juros e demais atenuantes do crédito pessoal.

O que fazer se tudo falhar?

Se seus problemas bancários forem muito graves, e você não conseguir nenhum crédito pessoal apesar de ter esgotado as estratégias que propusemos, lembre da existência de profissionais que se especializam em criar planos de recuperação financeira. Não hesite em contactar seu banco para pedir que lhe aconselhem nesta questão, afinal os bancos também querem receber o dinheiro que lhe emprestaram, por isso, na maioria dos casos mostram-se receptivos a delinear um plano de recuperação financeira.

Além disso, a insolvência pessoal ou civil é uma opção a ser considerada. Pois, embora seja uma alternativa complicada, consiste em traçar um plano de pagamento que permite ao devedor recuperar a sua saúde financeira, sendo que em alguns casos, é possível incluir o perdão de parte das dívidas (exoneração do passivo restante). O principal problema da insolvência pessoal é que não lhe permitirá solicitar nenhum crédito pessoal durante o período do plano financeiro.

publicidade

Write A Comment